quinta-feira, 10 de julho de 2008

REVISTA SUPER INTERESSANTE


A edição brasileira nº 254 - Julho de 2008 - da Revista Super Interessante apresenta uma entrevista(pp. 17-19) realizada por Rita Loiola ao Filósofo francês Luc Ferry.


" (...) Pergunta de Rita Loiola: Mas actualmente ajudar a viver melhor não é papel da Psicologia?

Resposta de Luc Ferry: O projecto da Filosofia e da Psicologia é igual - salvar o ser humano dos seus medos. Mas os caminhos são bem diferentes. Acho que a Psicologia nos diz «como» e a Filosofia responde «porquê». A Psicologia acalma e a Filosofia mostra o sentido." (pág. 19)

1 comentário:

Marta disse...

Terapia funciona?


Esta é a capa da revista Superinteressante (no. 254, julho de 08) a reportagem é longa e elucida várias questões sobre as correntes terapêuticas vigentes com muita propriedade. Também aborda sobre os avanços da medicina na área das neuroimagens afirmando que as pessoas que fazem terapia a base de linguagem conseguem efeitos positivos e permanentes no seu sistema de aprendizagem, na memória e no processamento das emoções. Muitas vezes a pessoa pode não perceber, mas está se tornando mais capaz de resolver seus problemas existenciais, traumas e sua capacidade de autoconhecimento. Interessante? Muito mesmo, pois até bem pouco tempo muitas culturas consideravam que fazer terapia era desnecessária e inútil. Hoje isso mudou, tanto que os planos de saúde já são obrigados a custearem, aos seus beneficiários,12 sessões por ano com terapia.
Porém, todos os terapeutas concordam em uma coisa, a terapia não depende somente da boa qualificação do profissional, mas também a disposição interna do cliente em falar sobre si e as questões que o incomodam e o bom relacionamento dos dois. No entanto, saber escolher um bom profissional pode ajudar sobremaneira no processo e sobre isso a reportagem de Denize Guedes nos alerta: “pouca gente gostaria, por exemplo, de se tratar com quem se compromete com a doutrina em que se formou do que com o paciente. E passa sessões tentando encaixar o pobre coitado na teoria (...)”
Quanto ao futuro dos terapeutas e das terapias, há uma tendência cada vez maior de se focar o tratamento na questão e não em doutrinas intelectuais. Por isso, Dr. Irvin Yalon, renomado psiquiatra americano com as mais respeitadas publicações na área, dedicou seu livro A cura de Shopenhauer, a terapia reflexiva praticada por filósofos clínicos, que segundo ele, é a terapia do futuro. A tradição das escolas terapêuticas remonta não só a Freud e Jung, mas também aos seus anteriores como Nietszche, Schopenhauer, Platão, Sócrates, entre outros que já se preocupavam em cuidar das problemáticas humanas. Para saber mais sobre a Terapia Filosófica e a formação de Filósofos Clínicos, acesse www.filosofiaclinica.com.br