quinta-feira, 20 de março de 2008

A DISCIPLINA DE FILOSOFIA NO LICEU PEDRO NUNES


«DEPOIS DO ADEUS» é um programa da RTP1, dinamizado por Maria Elisa e que debate os temas mais pertinentes da sociedade portuguesa. O formato é muito interessante, pois convida diversas personalidades, com "curriculo" relevante e pertinente na temática a abordar.

Na emissão nº 4, do dia 9 de Março de 2008, o tema foi a Educação.





Na sequência dos vários programas televisivos sobre este tema (Prós e Contras, Grande Entrevista, Telejornais, etc.) o Programa «Depois do Adeus» foi original. Na nossa perspectiva, forneceu um contributo maior...

Selecionou-se um caso concreto da educação portuguesa: o Liceu Pedro Nunes, em Lisboa. Convidaram-se alguns dos seus ex-alunos e debateu-se a importância dos professores, das actividades, das estratégias utilizadas nas aulas, das experiências vivdas, etc.











Destacamos, aqui, dois comentários: o de Daniel Sampaio e o de Mega Ferreira. Ambos referiram a importância que a disciplina de Filosofia teve na educação e nas opções que tomaram relativamente aos seus trajectos de vida.


Por exemplo, Daniel Sampaio chegou mesmo a considerar que foi a sua professora de Filosofia, através da metodologia mais prática que utilizava nas aulas, que o motivou e orientou na decisão que tomou em seguir Psiquiatria.
Aliás, foi ainda referido que a disciplina de Filosofia é essencial para a formação da autonomia crítica do aluno. Nesse sentido, os debates que existiram nas suas aulas de Filosofia, permitiram motivar o gosto pela disciplina, pela pesquisa, assim como pelos temas.

Mais informações na Página Oficial da RTP.
FONTES:

terça-feira, 11 de março de 2008

O ENSINO DA FILOSOFIA

Citando uma frase de Kant, o sitio WEB sobre o Ensino da Filosofia despertou o nosso interesse e curiosidade.

«O entendimento não deve aprender pensamentos, mas a pensar. Deve ser conduzido […], mas não levado em ombros, de maneira que no futuro seja capaz de caminhar por si sem tropeçar
(Immanuel Kant, “Anúncio do programa do semestre de Inverno de 1765-1766”)

Consulte aqui o sitio WEB, da responsabilidade de Sílvia Revez e Ruben Teodoro.

Contactos: silviarevez@yahoo.com

LABORATÓRIO DE FILOSOFIA



Já alguma vez ouviu falar em Laboratórios de Filosofia? A expressão não é nova, apesar de não ser muito utilizada. Muito menos é uma realidade na maioria das escolas e universidades portuguesas.


Na sua Estratégia Intersectorial para a Filosofia, a UNESCO utiliza a expressão «Laboratório de Ideias».

Tendo em conta que o actual momento é de avaliação do trabalho dos professores nas escolas, sobretudo ao nível da inovação, considerámos que poderia ser muito interessante partilhar com o visitante deste Gabinete um projecto didáctico-pedagógico, criado numa Escola Secundária portuguesa.
Visite aqui o «Laboratório de Filosofia» da Escola Secundária Padrão da Légua, na cidade do Porto.


NIETZSCHE: DO LIVRO PARA O CINEMA




Muitos portugueses já leram o best-seller de Irvin Yalom intitulado "Quando Nietzsche Chorou", publicado pela editora Saida de Emergência.


O que muitos não esperavam era a sua produção em filme.

Mais do que um excelente momento cinematográfico, consideramos estar perante uma obra marcante no debate sobre a Consultoria Filosófica.

Mais informações aqui.




Se está a pensar em ler primeiro o livro, sugerimos que comece por ler este resumo, escrito por Célia Gonçalves em Setembro de 2007.

"(...) A história começa quando Dr. Breuer está de férias em Veneza, tentando salvar seu casamento, e Lou Salomé aparece pedindo para ele tratar Nietzsche com sua terapia da conversa. Como Nietzsche é muito resistente ao tratamento, Dr. Breuer sugere trocar seus serviços por uma consultoria filosófica de Friedrich (...).

Josef Breuer encontra na filosofia de Nietzsche as respostas para os seus problemas existenciais, ao passo que Nietzsche encontra sua libertação quando se permite chorar, ao conseguir compartilhar sua solidão com outro ser humano." (Célia Gonçalves IN Shvoong)

sexta-feira, 7 de março de 2008

«A ENTREVISTA DO MEU PAI»


Um jovem decidiu entrevistar o seu pai, que é professor de Filosofia...

Começa assim:

"O meu pai é professor de Filosofia e também outras disciplinas, mas isso já vão ler! Chama-se Gustavo! Acabaram as férias e as aulas a começar; esta entrevista é sobre o regresso às aulas. Espero que gostem. (...)"

Estas foram as perguntas que o jovem colocou ao seu pai:

1. Qual a disciplina que ensinas?
2. A que horas tens de chegar à escola?
3. Gostas do trabalho que tens?
4. Que outras actividades é que fazes na escola?
5. Senhor professor, se não fosse professor o que é que queria ser?

Para ler a estrevista completa, clique aqui.