quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

MOBBING OU ASSÉDIO MORAL: UM PROBLEMA SOCIAL DO SÉC. XXI


Começam a surgir, nas reflexões da comunidade cientifica e profissional, de várias áreas de trabalho, abordagens ao problema do «Assédio Moral». Há quem utilize o termo «Mobbing».

Trata-se de uma "exposição a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas" durante um determinado projecto pessoal e/ou profissional. (Adaptado de Wikipédia) Neste problema, predominam comportamentos muito negativos, relações pouco humanas e éticas de média-longa duração, desestabilizando a relação da "vítima" com a organização e o meio envolvente. Visto que se trata de um problema vivido no domínio mais privado, nem sempre a "vítima" consegue "provar" o que sofreu, principalmente porque tem dificuldade em conseguir testemunhas, pois estas preferem não envolver-se, devido a vários e diferentes factores: competição com a vitima, inveja, medo, etc.

No artigo referido acima - Wikipédia - podemos encontrar curiosas descrições do «Perfil do Agressor», assim como do «Perfil da Vitima». Habitualmente, os agressores são pessoas muito frustradas pessoal e profissionamente e que, por razões ora de egoismo ora de ambição pelo poder, decidem "massacrar" uma determinada pessoa-alvo. A vitima é, habitualmente, alguém que possui imensas potencialiades, e que por essa razão. é vista pelo agressor como um "concorrente". Acrestanta-se também o facto da vitima ser, naturalmente, uma pessoa com elevado sentido crítico e da sua liberdade pessoal e profissional. É muito comum as vitimas terem um curriculo invejável, assim como uma enorme capacidade de trabalho.
Os principais estudos cientificos referem que o agressor é capaz das maiores atrocidades, desde que com isso consiga "destruir" a vitima. Sabe-se que, para o agressor, essa destruição dá-lhe um enorme prazer...
O problema surge quando a vitima consegue ultrapassar a situação de assédio, através do apoio de vários profissionais, desde o Consultor Filosófico, passando pelo Psicólogo Organizacional e/ou Clínico, pelo Advogado, etc.
A existência de provas faz inverter todo o processo: o poder passa a estar do lado da vitima...
Enviar um comentário