sábado, 8 de dezembro de 2018

JORGE HUMBERTO DIAS FOI CONVIDADO PARA PARTICIPAR NUM ANÚNCIO PUBLICITÁRIO

A empresa Veedeeo Guru convidou Jorge Humberto Dias para participar num anúncio publicitário.




O vídeo estará disponível a partir da próxima semana.

WOOK CONVIDA JORGE HUMBERTO DIAS PARA UM APONTAMENTO SOBRE O LIVRO "A DOENÇA DA FELICIDADE"

A Porto Editora convidou-me para escrever um comentário ao livro "A Doença da Felicidade", de Paulo Miranda.



"PENSAR A FELICIDADE AO CONTRÁRIO"

Desde 1998 que leio livros técnicos sobre a felicidade. Principalmente na área da filosofia, mas por vezes, leio também noutras áreas, como a psicologia, a economia, a política e a comunicação social.
Ler este livro de Paulo Miranda foi um autêntico exercício filosófico. Pensar na situação ao contrário. Costumo utilizar esse instrumento nas minhas consultas de aconselhamento filosófico. É muito útil para desbloquear situações, quando as pessoas sentem alguma dificuldade em desenvolver o seu pensamento na análise de uma situação da sua vida. Pensar ao contrário pode abrir um novo horizonte, uma nova perspetiva.
Seja como for, este livro não defende uma definição filosófica de felicidade, mas uma definição neurológica. E este é o ponto central da aventura.
Para quem leva a sério estes temas é importante ter em atenção que existem várias definições de felicidade e que a sua diferença é significativa quando estamos a olhar para áreas científicas também diferentes.
Uma ideia interessante é considerar que a felicidade é uma questão humana transversal, que deve preocupar os governos, as organizações e as pessoas. Neste livro, é dado mais destaque à dimensão da saúde pública.
É interessante o termo "eudaimonina", recuperado da tradição aristotélica e utilizado para denominar uma endorfina produzida pela hipófise, substância que levaria as pessoas a procurarem a felicidade. Assim surgiria a "eudaimonologia clínica".
Os sintomas da felicidade seriam uma espécie de alucinação, um delírio, que levaria as pessoas a não querem trabalhar muito, a valorizarem-se excessivamente e a não conseguirem abandonar esse desejo, nem a admitirem a doença.
O livro vale pela exploração que faz desse "novo" paradigma e pela análise de casos-de-consulta, ao mesmo tempo que desenvolve as vivências das personagens na história, transportando-nos para o seu âmago. É igualmente interessante ver os exercícios sugeridos para evitar a doença da felicidade, assim como o contributo das várias componentes da vida: fazer amor, dançar, cantar, desporto, etc.
No entanto, o autor recorda-nos sempre que não existe cura para a doença da felicidade e que a sua causa poderia estar na necessidade de suportar a dureza da vida.
Talvez por isso o medo tenho um lugar de destaque na saúde humana.
No final do livro seria interessante traçar o perfil da pessoa infeliz e saudável: Florence.
Uma conclusão: a arte só sobrevive porque é realizada por um "infeliz".

Autor: Jorge Humberto Dias

Fonte: Wook

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

FORMANDO BRASILEIRO TERMINA COM SUCESSO O NÍVEL I


Ao término deste primeiro nível do PIFEC, quero registrar meus profundos agradecimentos ao Dr. Jorge Humberto Dias, que me conduziu nesse período por uma estrada desconhecida e fascinante, a do Aconselhamento Filosófico ou Consultoria Filosófica. Serena, mas firmemente me iniciou nos arcanos da Filosofia Prática, desvelando um mundo de surpreendentes possibilidades no que tange ao reequilíbrio daqueles que se encontram descentrados. Muito obrigado, Dr. Jorge, pelo seu comprometimento com a nossa formação, pelo seu compartilhamento e sobretudo, no meu caso específico, pela sua paciência.

Edson Justino da Silva

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

O QUE SE FAZ NUMA CONSULTA FILOSÓFICA?

Às vezes perguntam-me: O que se faz numa Consulta Filosófica?

Por vezes, também me perguntam: Qual a diferença entre uma Consulta Filosófica e uma Consulta Psicológica?

A resposta não é pequena, mas é importante.

Os exemplos poderiam ser vários.

Hoje partilho um dos exercícios que fiz esta semana com um cliente.





Fonte: Punset (2017) 

Autor: Jorge Humberto Dias


WORKSHOP INTERNACIONAL EM LISBOA "HAPPINESS, PHILOSOPHY AND EDUCATION"


quarta-feira, 28 de novembro de 2018

COLÓQUIO DESPORTO, ÉTICA E TRANSCENDÊNCIA NA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA


Conferência de Jorge Humberto Dias: "Empreendedorismo, Desporto e Educação".

sábado, 17 de novembro de 2018

SUPERMERCADO FILOSÓFICO ESTEVE EM ALCOBAÇA E POMBAL

No âmbito das comemorações do Dia Mundial da Filosofia, o Supermercado Filosófico foi até Alcobaça e Pombal.

Os alunos participaram ativamente e mostraram um elevado interesse pelas questões filosóficas, principalmente o tema da Felicidade e das Consultas de Filosofia.



sexta-feira, 16 de novembro de 2018

PROFISSÃO DO FUTURO: FILÓSOFO, segundo Harari


Segundo Yuval Noah Harari, autor do best-seller "Sapiens – Uma Breve História da Humanidade", um profissional, até então sem muito valor no mercado, pode ganhar espaço nos próximos anos: o Filósofo. A ideia foi apresentada no seu novo livro, "21 lições para o século 21".

domingo, 11 de novembro de 2018

FESTIVAIS DE FILOSOFIA PELO MUNDO

Em Portugal, está a decorrer em Abrantes a 2ª edição do Festival de Filosofia.

Desconhecemos se alguma outra localidade em Portugal já terá acolhido formato semelhante. Se alguém souber, por favor, faço-nos chegar essa informação, que colocaremos aqui.

No entanto, é muito provável que a moda pegue no nosso país.

Ela já existe nalgumas localidades da nossa Europa e há bastantes anos.

Nem todos os Festivais de Filosofia têm o mesmo alinhamento. Uns são mais criativos do que outros. Uns apostam mais na tradição, outros investem mais em eventos e abordagens inovadoras.

Por exemplo, em Madrid (Espanha).


Mais informação AQUI

Em Modena (Itália), já se prepara o Festival de Filosofia para 2019 e também com o Alto Patrocínio do Presidente da República. O tema da 19ª edição será a "Pessoa".



Mais informação AQUI

Valência (Espanha) também tem um Festival de Filosofia.


Mais informação AQUI

A cidade de Valhadolid (Espanha) também tem. AQUI

Málaga. AQUI

Barcelona já vai na 5ª edição. AQUI

Para os mais curiosos, até a Wikipédia já tem uma entrada sobre este tema. Veja AQUI

Se souber de mais Festivais de Filosofia pelo mundo, envie-nos um email: gabinete.project@gmail.com

JULIÁN MARÍAS - Um filósofo destacado pelo Projeto "PHILO-PRACTICE ÁGORA"



Excelente trabalho do professor Ran Lahav sobre o filósofo espanhol Julián Marías. 

Orgulho-me de ter feito o meu doutoramento sobre esta grande figura da sociedade espanhola e de ter divulgado a sua obra nos Congressos Mundiais de Prática Filosófica.

Jorge Humberto Dias.

Mais informação AQUI

terça-feira, 30 de outubro de 2018

PRESS RELEASE - DIA MUNDIAL DA FILOSOFIA (UNESCO)


O NOVO ROLL UP DO Gabinete PROJECT@


O nosso novo Roll Up.

Vai encontrá-lo nos nossos eventos.

Até breve.

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

CONFERÊNCIA NO ISCTE SOBRE ÉTICA E COMPLIANCE NA BANCA INTERNACIONAL E EM ANGOLA


O Doutor Jorge Humberto Dias apresentou uma Comunicação com o título: "Da Ética (Aplicada) Bancária à Consultoria Filosófica".

Inicialmente, o Doutor Jorge Dias apresentou a Filosofia como um conjunto de várias disciplinas que estudam temáticas específicas. A Ética é uma delas, subdividindo-se em Ética Fundamental (teórica) e Ética Aplicada.

Posteriormente, referiu que a Ética tem sido aplicada a várias áreas, desde o Desporto, a Saúde, a Tecnologia, a Economia, etc..

A partir dos 70, começaram a surgir as disciplinas "aplicadas", fruto de necessidades sociais várias, mas principalmente como sinal de que a teoria já não era suficiente para o evoluir do mundo.

Um dos perigos pode ser a tecnicalização da ética. Pelo simples facto de uma organização ter o selo ético, isso não é garantia absoluta. É essencial continuar a melhorar.

Citando Tomás de Aquino, referiu que a finalidade da economia não é a riqueza, mas o viver bem.

Em relação à Ética Bancária, Jorge Dias distinguiu-a de Compliance e de Corporate Governance.

Dirigindo-se ao auditório, questionou: "É possível cumprir o Regulamento e ter uma avaliação ética negativa?" E de imediato respondeu: "Sim."

Quase no final, destacou 3 tópicos de desenvolvimento: o logrolling, os conflitos de interesses e o risco inerente ao crédito.

Já no debate com o auditório, Jorge Dias aproveitou para recordar o lugar de Angola no Ranking Mundial de Felicidade da ONU: 142, num universo de 156 países. Recordou que os primeiros lugares são ocupados pela Finlândia, pela Noruega e pela Dinamarca, enquanto que os últimos lugares são ocupados pelo Burundi, pelas República Centro Africana e pelo Sudão do Sul. 

No encerramento dos trabalhos, Jorge Dias deixou um desafio para a Banca e para a Economia: num mês em que foi anunciado pela ONU que a pobreza mundial continua a aumentar. 



No final, as instituições parcerias manifestaram interesse em dar continuidade à colaboração: Centro de Estudos Internacionais do ISCTE, Plataforma Reflexão e APAEF (Associação Portuguesa de Aconselhamento Ético e Filosófico).

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

ÉTICA APLICADA À POLÍTICA na Livraria Almedina (Lisboa)



No passado dia 3 de outubro, assistimos, na Livraria Almedina do Rato, em Lisboa, a mais um lançamento da Coleção de Ética Aplicada, coordenada pela professora Maria do Céu Patrão Neves, apoiada pela Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento e publicada pelas Edições 70.

Paulo Trigo Pereira começou por dizer que não temos papers sobre Ética e partidos políticos. Questão de facto curiosa para a academia internacional. Para o professor, a sociedade civil é muito importante neste processo, assim como os media, que devem pressionar o cumprimento dos programas eleitorais.



Por outro lado, a especialista Marina Costa Lobo referiu que os valores, a integridade e a responsabilidade são o essencial da Ética aplicada à Política.



Entretanto, Graça Franco, Jornalista da Renascença, questionou o escrutínio da nova Procuradora-Geral da República. Sobre esse tema, Marina Costa Lobo disse que os novos nomeados deveriam ir à Assembleia da República responder a perguntas dos Deputados, com o objetivo dos cidadãos ficarem a conhecer melhor os candidatos, antes de serem eleitos ou selecionados/nomeados.



Já no momento de debate, António Correia de Campos, ex-Ministro da Saúde, e que estava no público, discordou do tom pessimista que os oradores imprimiram às suas comunicações, e considerou que houve alguma evolução em Portugal, sobretudo com o Tribunal de Contas a analisar o histórico financeiro dos nomeados. A Assembleia também chama as pessoas para audição. De referir que na atualidade, Correia de Campos é presidente do Conselho Económico e Social. Marina discorda do ex-Ministro, e considerou que existem vários problemas institucionais.



No final, Paulo Trigo Pereira defendeu a criação de cursos de Ética nas universidades e em todos os cursos de todas as áreas científicas e profissionais, assim como no ensino básico e secundário.

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

A ÉTICA APLICADA NO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, com 3 ex-Ministros


A convite da professora Maria do Céu Patrão Neves, coordenadora da Coleção de Ética Aplicada e catedrática de Ética na Universidade dos Açores, no dia 13 de setembro estive no Conselho Nacional de Educação (adiante CNE) para assistir ao lançamento inédito de uma obra que relaciona Ética com Educação.

(Painel 1 - constituído pelos coordenadores do livro e pelos representantes institucionais)

A presidente do CNE, Maria Emília Brederote Santos, citou Calvino e Bauman, sobretudo o livro "Amor liquido", para dizer que educamos para nos adaptar e orientar neste mundo efémero. 


O engenheiro Jorge Gabriel, da Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento, referiu que a coleção está a ter sucesso e que isso é uma boa surpresa, pois a Ética não tem sido discutida muitas vezes, nem com rigor. Agradeceu também às Edições 70 pela coragem editorial.


Susana Ramos, coordenadora das Edições 70, referiu que a ideia é abrir a Filosofia a temas da sociedade. Posto isto, questionou a relação entre a função de professor e de educador, considerando que estão as duas juntas no mesmo profissional.


David Justino, ex-Ministro da Educação e ex-Presidente do CNE, considerou que o CNE é a casa da educação, pois é onde se têm confrontado as diferentes perspetivas, independentemente das diferenças. Referiu que foi difícil ser convencido pela professora Patrão Neves, pois está envolvido em muitos projetos e gosta de dar uma resposta de elevada qualidade. Mas foi a importância do tema que o convenceu. Citou Pierre Nora, para sublinhar a existência de periodos de aceleração da história e referir que a atualidade vive um desses períodos. "O mundo é muito para além das receitas. É do dominio do contingente. O tema é importante porque é essencial saber para onde vamos, de onde vimos e para onde queremos ir." - disse David Justino. Considerou que a sua geração sempre teve muita auto estima, e que talvez isso não tenha facilitado a entrada de pensadores mais novos, mas que é essencial que os jovens apareçam a mostrar o excelente trabalho que estão a realizar. Este livro é um bom exemplo disso.

(Painel 2 - constituído pelos especialistas convidados a iniciar o debate)


Maria da Graça Carvalho, ex-Ministra da Ciência, dividiu o livro em 4 grandes temas: 1. Os valores; 2. A equidade e a inclusão; 3. As relações escola / familia / alunos e professores; e 4. O mercado de trabalho. Desafiada a escolher um tema para debate, escolheu o tema da inclusão social, destacando as desigualdades no salário e nas habilitações académicas. Referiu ainda o problema do abandono escolar (jovens que não estudam, nem trabalham) e dos apoios sociais escassos.


Marçal Grilo, ex-Ministro da Educação, afirmou que o futuro é imprevisível, ou seja, é mais do que incerto, pois não sabemos qual é o cenário que vem a seguir. Foi referido que existem 3 pilares na educação: 1. O conhecimento e a sua aplicação; 2. As atitudes e comportamentos; 3. Os valores. Grilo desconfia muito das pessoas que têm muitas certezas, pois duvidar é essencial à atitude científica. O ex-Ministro considerou que os pais devem ser exemplo e são os responsáveis pela educação dos seus filhos. Nessa linha, os pais deveriam exigir mais aos filhos, ou seja, que cumprissem deveres, ao invés de estarem sempre a olhar para os direitos das crianças. Para Marçal Grilo, o número de doutorados em empresas é um problema. Em Portugal, apenas 5% das empresas têm doutorados, enquanto que na Europa 30% das empresas já têm doutorados. Mas Grilo reconhece que em Portugal mais de 80% das empresas são PME's. Grilo recordou a importância de um "Pacto para a Educação", entre todos os Partidos, e que vigorasse, por exemplo, durante 20 anos, pois é negativo estar sempre a mudar a educação. Grilo referiu ainda que dois diretores de importantes empresas são filósofos. Patrão Neves referiu que é devido à visão holística que têm da realidade. Em Harvard é obrigatório que cada aluno, por semestre, faça duas cadeiras de humanidades - disse Grilo.


Na fase de debate, Santana Castilho defendeu os professores, depois de uma crítica de Susana Ramos, dirigida ao facto dos professores pensarem mais nas suas carreiras e menos nos seus alunos.


Posteriormente, Jorge Humberto Dias questionou a mesa sobre a criação de uma Ordem dos Professores. A professora Maria da Graça Carvalho disse que ainda não tinha pensado no assunto e por isso considerou que era melhor ser o professor Marçal Grilo a comentar. A resposta de Grilo referiu que é essencial valorizar a profissão de professor, assim como a excelência do seu desempenho.

(David Justino, Jorge Humberto Dias e Maria da Graça Carvalho a trocarem ideias sobre a Ordem dos Professores)

(Momento de agradecimentos e despedidas. Ao fundo, o professor Santana Castilho)



domingo, 12 de agosto de 2018

ENTREGA DE MEDALHA DE RECONHECIMENTO AO DOUTOR JORGE DIAS


O Professor Doutor João Costa, atual Secretário de Estado da Educação (anteriormente fora Diretor da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas), entregou ao Doutor Jorge Humberto Dias uma medalha de reconhecimento pelo Doutoramento realizado na Universidade Nova de Lisboa, em fevereiro de 2013.


sábado, 11 de agosto de 2018

UMA FORMA DIFERENTE DE ABORDAR UM NAMORO

Hoje foi dia de ir ao cinema.

Estava em casa, quando fui ao site da UCI El Corte Inglês e vi o trailer do filme "Traições (con)Sentidas". Achei os temas e a abordagem interessantes, fora da caixa…


Ao entrar na sala de cinema, comecei por reparar num pormenor interessante: eu era a pessoa mais nova na sala e a média de idade devia rondar os 60 anos. Ainda pensei que estivesse no seio de uma atividade sénior, mas parece que não. Foi mesmo natural.

O filme conta a história de um casal de namorados, hoje atípico, pois nunca tiveram outros namorados.

O irmão de Anna é homossexual e namora com o colega de Will.

Anna e Will têm uma relação quase perfeita. Não têm problemas, não discutem, nunca mentiram um ao outro, nunca traíram. Ambos têm emprego e Will está a preparar uma casa nova, para onde quer ir morar com Anna depois de casar.

Mas o irmão de Anna, juntamente com o seu namorado, num encontro a 4, faz um desafio a Will e Anna: porque não testam a qualidade da relação antes de casarem? A ideia é que Will e Anna tenham experiências sexuais com outras pessoas, para verem o que sentem. E sobretudo, para poderem comparar…

Curiosamente, Anna e Will têm experiências diferentes. Anna tem uma experiência mais romântica com um "boy band", que lhe dedica uma música e a Anna fica envolvida no ambiente criado. Will tem uma experiência com uma mulher mais velha, que gosta de aumentar o grau de loucura sexual, através do consumo de drogas.

Todos os dias, depois de cada experiência, Anna e Will encontram-se em casa e trocam ideias. Por vezes revelam ciúme, curiosidade sobre as características das outras pessoas e pelos sentimentos que a experiência provocou…

No final, o músico pressiona Anna a namorar com ele, mas Anna vai embora, dizendo que aquilo foi apenas uma experiência sexual. Will também vai a casa de Lydia e oferece-lhe flores como forma de despedida.

Mesmo a terminar, e quando pensávamos que Will e Anna iam casar e viver na casa nova, eis que o realizador nos surpreende com a rejeição de Ana…

Vim para casa a pensar em várias questões filosóficas:

- De acordo com um Estudo que li hoje, as pessoas inteligentes não casam. Pergunta: porquê? Talvez porque considerem que não seja necessário assinar qualquer papel para ter um conexão de amor.

- Se o casal sentiu necessidade de ter experiências sexuais com outras pessoas, é porque algo não estaria completo na sua relação?

- O casal decidiu ter uma experiências, mas a verdade é que as outras pessoas com quem se envolveram não são "objetos". E como pessoas, poderiam, naturalmente, despertar o amor em Anna e Will… O corpo, os sentimentos e a vida pessoal não parecem ser controláveis com um comando à distância, como se se tratasse de um ensaio de laboratório.

- Will pensou que depois da experiência, Anna seria sua e a relação voltaria ao normal. Será que a "posse" se pode aplicar ao ser humano?

- O que poderíamos entender por fidelidade no amor? Fará sentido falar em tipos diferentes de fidelidade? E será que a infidelidade implica menos amor?

- Será que uma traição consentida, deixa de ser traição? Ou será que o conceito de traição não tem sentido nas relações humanas?

- Por fim, sugiro um livro que conheci através da minha colega e amiga Marisa Cruz. "The state of affairs", de Esther Perel. Ao ler este livro, ficamos com a ideia de que uma relação terá muitas dificuldades em sobreviver, caso tenha sido originada por uma traição, envolvendo outras pessoas, de relação anterior.

Boas reflexões e bons debates!

sexta-feira, 20 de julho de 2018

ÉTICA APLICADA À EDUCAÇÃO - Lançamento em Setembro


Vai ser realizado em setembro próximo o lançamento do livro sobre Ética Aplicada à Educação, sob a coordenação da professora Maria do Céu Patrão Neves e do professor David Justino.

Mais informação sobre a Coleção de Ética Aplicada, AQUI

A ÉTICA APLICADA NO JARDIM DA LIVRARIA ALMEDINA, com o Comissário Europeu Carlos Moedas


(Foto: Maria do Céu Patrão Neves e Jorge Humberto Dias)

Dia 19, estive no Lançamento do livro sobre Ética Aplicada às Novas Tecnologias, sob coordenação das professoras Maria do Céu Patrão Neves e Maria da Graça Carvalho.

O local escolhido foi o bonito jardim da Livraria Almedina, na rua da escola politécnica, em Lisboa.

A sessão de abertura começou com a Dra. Susana Ramos, das Edições 70, com o engenheiro Vasco Rato, da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento e com a professora Maria do Céu Patrão Neves, catedrática de ética da Universidade dos Açores e coordenadora da coleção de Ética Aplicada.

A professora Graça Carvalho apresentou o currículo do Comissário Europeu Carlos Moedas, reconhecendo o seu papel decisivo em Portugal, quando ainda era Secretário de Estado e a Troika estava em Portugal. Ao nível europeu, reconheceu o aumento do orçamento para a ciência e tecnologia, que atingiu, pela primeira vez, os três dígitos.

Carlos Moedas começou por informar os presentes acerca dos 100 mil milhões para a ciência e a tecnologia no Orçamento Europeu, através do programa "Horizonte Europa".

No seu discurso, o Comissário referiu o caso do veículo rodoviário autoguiado, que matou uma pessoa que ia a atravessar a estrada. Questão? Terá sido uma decisão do veículo? Poderá o veículo ser considerado responsável? Numa determinada linha de análise, o Comissário disse que sim, pois o algoritmo do veículo decidiu que era mais seguro não parar, pois o risco seria maior para as pessoas que iam dentro do veículo.

Olhando para o futuro, o Comissário considera que as ciências sociais e humanas vão ter um papel essencial, devido à necessidade premente de criatividade e reflexão. Também as interseções entre os vários saberes vão ser bastante valorizadas nos especialistas.

Quanto à importante questão da ciber-segurança, Carlos Moedas referiu que esta vai ser resolvida pela investigação que neste momento está a ser desenvolvida pela física quântica, tendo destacado o excelente trabalho da Universidade de Delft, na Holanda.

Por fim, o Comissário Europeu definiu ética como a ciência que estuda os comportamentos humanos e depois propõe modelos socialmente adequados.

Mais informação sobre a Coleção de Ética Aplicada, AQUI
http://eticaaplicada.almedina.net/
Autor: Jorge Humberto Dias

segunda-feira, 16 de julho de 2018

APRESENTAÇÃO DO LIVRO "A Liberdade e os Escravos", por Jorge Humberto Dias


No próximo dia 29 de julho, na FNAC do Chiado, em Lisboa, pelas 18h00, Jorge Humberto Dias vai apresentar o livro de Filipe Calhau, intitulado:

"A Liberdade e os Escravos".

Apareça!

Mais informação sobre o autor AQUI.

Contacto da Editora AQUI.

sábado, 23 de junho de 2018

FILOSOFIA DO AMOR EM 2 FILMES

Nas últimas semanas fui assistir a 2 filmes.
Não sei se a escolha foi intencional para o tema do amor… talvez.
Seja como for, estamos perante duas experiências completamente diferentes, e que no final, me levaram a um "diálogo" muito interessante sobre o tema.



Trailer AQUI

Neste primeiro filme, estamos perante uma relação que acontece de repente, num local paradisíaco, é um facto, mas que se torna muito intensa ao longo da magia da descoberta. Ele mantém um lado oculto, e ela investe na confiança. Há uma química difícil de explicar, que gera paz.
Por razões de ordem profissional, ele despede-se. Ao fim de 2 minutos, já estão ao telefone a manifestar saudade. Ele pergunta se ela quer que ele volte para traz. Ela recusa, pois também tem de trabalhar.
A verdade é que ele acaba por ser preso na Somália e fica incontactável. Ela não sabe de nada. Deixa mensagens no voice mail, mas a caixa fica cheia. O telemóvel está sempre desligado. Irrita-se e atira o telemóvel para o chão. Escreve poemas para ele.
No final, o realizador deixa em aberto a possibilidade dele ter sobrevivido a um ataque americano na Somália…

Questão filosófica interessante: se a vida nos der apenas 1 oportunidade para amar uma pessoa, porque não aproveitamos?





Trailer AQUI

Neste segundo filme, estamos perante uma relação que surge como resultado de um processo, mas que nasce com a identificação das almas em algumas questões essenciais para a vida. Neste caso, a paixão pela literatura e pela intensidade das suas vivências e significado.
Começando por uma troca de cartas, ela decide ir fazer uma reportagem à ilha de Guernsey sobre a situação vivida por aquela Sociedade, que se reunia para promover a vida cultural, mas também porque a isso foram obrigados ao usar como justificação a existência dessa Sociedade numa noite em que foram apanhados pela polícia nazi.
Nesse trabalho, eles acabam por se aproximar ainda mais… Ela decide não casar com o seu noivo americano e acaba por casar com o grande amor que encontrou na ilha, com o qual partilhava um forte sentimento de pertença a uma verdadeira família espiritual e de conexão.

Questão filosófica interessante: o que une realmente 2 pessoas? Parece que a resposta está numa certa magia que não podemos controlar, mesmo que queiramos.

Autor: Jorge Humberto Dias


sexta-feira, 22 de junho de 2018

PROBLEMAS PSICOLÓGICOS EM TEATRO


Na passada 4ª feira tive os deuses do meu lado. Alguém partilhou comigo o último espetáculo do dISPAr (grupo de teatro do Instituto Superior de Psicologia Aplicada).
O nome da peça era: "Rituais" (a partid do poema Bluebird, de Charles Bukowski).
Cheguei às 20h45. O início estava marcado para as 21h. Ao entrar nas Catacumbas do Liceu Camões senti logo o fresco. Fez-me lembrar aqueles ambientes mais cinzentos (como se pode reparar na foto acima), ou de hospitais psiquiátricos, ou de campos de concentração. Resumindo, a mensagem era claramente negativa, espectável.
Depois de uma breve apresentação por parte do diretor de atores (Nuno Salema), fomos entrando. Ao fundo à direita, começámos a ver as várias personagens… Cada personagem representava um tipo de perturbação psicológica, ou para sermos mais rigorosos, um tipo de personalidade com vários tipos de perturbação. Desde a baixa auto-estima, à bipolaridade, passando pela rejeição do corpo, pelo isolamento social e pelo sofrimento perante a morte. Pelo meio, encontrámos uma espécie de "curandeira", que nos convida à descoberta e interação com as personagens, dando-nos a entender que também um pouco de nós pode estar ali…
No final, reparei que estava uma senhora na assistência a chorar…

Mais informações AQUI

sexta-feira, 15 de junho de 2018

JÚRI DE MESTRADO EM GESTÃO DO POTENCIAL HUMANO NO INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO


Realizou-se hoje o Júri de Mestrado em Gestão do Potencial Humano, com uma dissertação realizada pelo Dr. Osvaldo Peuyadi: "A Ética na Gestão por Objetivos". O orientador foi o professor Casimiro Ramos, o co-orientador foi o professor Jorge Humberto Dias, o arguente foi o professor Georg Dutschke e a presidente do Júri foi a professora Leonor Almeida. Classificação final: 17 valores.

DESCONTO DE 15% EM CONSULTA INDIVIDUAL ONLINE durante a semana de 15 a 22 de junho


Faça já a marcação da sua Consulta AQUI

"Não deixe para amanhã o que pode fazer já hoje."

sexta-feira, 1 de junho de 2018

quinta-feira, 31 de maio de 2018

FUI AO "Happy Show" NO MAAT, em Lisboa

Ía com alguma expetativa. E por várias razões: por um lado, porque o número de trabalhos sobre a felicidade aumentou vertiginosamente em todo o mundo; por outro lado, porque a ideia parecia-me original.

Ao chegar ao MAAT, deparei-me com obras na estrada. O GPS dizia para eu virar para a esquerda, mas não foi possível. Mais 500 metros e consegui passar para o outro lado da estrada. Estacionamento completamente cheio. Tive de andar 2 kilómetros para conseguir um lugar.



Bilheteira à vista, uma fila enorme. A senhora que me acolheu, disse que era por causa do feriado.

Ia preparado para pagar 9 euros, ou algo próximo, eis quando o senhor me disse que os professores não pagavam. Há muito tempo que não me sentia tão importante no papel de professor… (private joke) :-)



Já dentro do MAAT, outra fila para o Happy Show. As restantes exposições de arte contemporânea estavam (quase) vazias.

Logo à entrada, a frase de 500 milhões…



Mas mesmo assim, não perdi a esperança. Sentia-me confiante… que estaria perante uma obra de empreendedorismo artístico e baseado em estudos sobre a felicidade.

E foi mesmo isso que encontrei! O artista fez um trabalho de casa brilhante. Recolheu informação pertinente, de vários investigadores da área da felicidade e desenvolveu a sua arte… Daniel Gilbert é um dos mais utilizados. Sónja Lyubomirsky, Jonathan Haidt, Abraham Maslow, etc.

Logo no início, oferecem-nos um livro com o resumo do show.



A 1ª experiência no show é retirar um cartão da sorte, que nos pede o primeiro treino mental. Sabe o que me calhou?


Numa das paredes encontramos a famosa fórmula da felicidade de Sónja Lyubomirsky:

F = G + A + CV       G (50%)   A (40%)   CV (10%)

F - Felicidade; G - Genética; A - Atividades; CV - Condições de Vida.

Andei de bicicleta, vi vários vídeos, fiz o desenho de um animal feliz.

Happy Show é interativo e com investimento grande no formato vídeo. Aconselho vivamente a ver o Happy Movie. É um vídeo de 12 minutos sobre o treino mental com o objetivo de ser uma melhor pessoa e mais feliz. Baseado na utilidade do treino físico, que claramente melhora os resultados numa determinada área… Veja AQUI o trailer.

Nessa mesma sala estava um outro vídeo que também gostei bastante: falava da coragem e da importância de sermos nós próprios. Se queremos muito uma coisa, devemos dar o primeiro passo e arriscar…

Noutra parede, vi uma alusão ao salário ideal.



Fez-me lembrar o famoso Paradoxo de Easterlin, que nos demonstrou que os mais felizes são aqueles que pertencem à classe média, pois a classe pobre e a classe rica estão, por razões diferentes, fora do impacto do dinheiro na nossa vida. Os muito pobres são infelizes porque não têm dinheiro. Os muito ricos, não diríamos que são infelizes, mas que não são mais felizes que as pessoas da classe média, pois a partir de um determinado valor de salário, a felicidade já não aumenta mais…

Quase no final, uma referência para quem é mais feliz: os casais sem filhos em 1º lugar; em 5º lugar, os casais com filhos a viver fora de casa e em 7º e último lugar os casais em que um dos membros já tem uma doença terminal.

Os Relatórios Mundiais de Felicidade são abordados mesmo à saída do show: os artistas dizer que Helsínquia é uma das cidades mais felizes do mundo (segundo os Relatórios), mas quando lá estiveram não sentiram que as pessoas fossem muitos felizes. Consideraram os brasileiros muito mais felizes. Será? Teríamos de analisar melhor a definição de felicidade em causa… :-)

Saiba AQUI mais sobre o trabalho destes dois artistas: Stefan e Jessica.

"Qual é a sua filosofia criativa?

Estou interessada em criar um trabalho emocionalmente envolvente e orientado por conceitos, que é incorporado em formas belas. Eu sempre tento abordar o processo de forma lúdica, com sentido de humor. Eu quero que as pessoas que vêem o meu trabalho experimentem ou sintam algo, quer as faça pensar, lhes dê alegria, ou lhes ofereça inspiração. Eu pretendo criar um trabalho funcional que atinja os objetivos dos nossos clientes. (Jessica)"
Autor: Jorge Humberto Dias.

quarta-feira, 30 de maio de 2018